Publicações old

Página em atualização!

A SAUDADE DE DEUS
Petrópolis, Vozes.
O presente livro revisita, com uma nova linguagem, temas que já há 40 anos preocupam a teologia que busca a libertação das muitas opressões que se agravam nos tempos atuais: o crescimento da injustiça social mundial, a superexploração do planeta pela voracidade consumista de poucos, deixando a maioria na fome e na miséria, a exigência de uma ética que inclua os direitos da natureza e da Mãe Terra, as novas perspectivas da questão do feminino e uma espiritualidade do cuidado pela Casa Comum e pelos escassos bens e serviços naturais. Valoriza a volta do religioso e do místico nos tempos atuais, uma verdadeira “saudade de Deus” e também a “força dos pequenos” que lutam com fé por sua vida e libertação.



A SAUDADE DE DEUS
Petrópolis, Vozes.
O presente livro revisita, com uma nova linguagem, temas que já há 40 anos preocupam a teologia que busca a libertação das muitas opressões que se agravam nos tempos atuais: o crescimento da injustiça social mundial, a superexploração do planeta pela voracidade consumista de poucos, deixando a maioria na fome e na miséria, a exigência de uma ética que inclua os direitos da natureza e da Mãe Terra, as novas perspectivas da questão do feminino e uma espiritualidade do cuidado pela Casa Comum e pelos escassos bens e serviços naturais. Valoriza a volta do religioso e do místico nos tempos atuais, uma verdadeira “saudade de Deus” e também a “força dos pequenos” que lutam com fé por sua vida e libertação.

2006

Virtudes para outro mundo possivel II: convivência, respeito e tolerância
Petrópolis, Vozes.
Continua o primeiro tomo. Aborda os temas da convivência, do respeito e da tolerância nos contextos da globalização e do encontro das culturas e povo.

2005

São José, a personificação do Pai.
Campinas, Verus.
Um estudo histórico-exegético e espiritual sobre a importância da figura de São José ontem e hoje e sua relação íntima com o Pai, sendo sua personificação (encarnação) histórica.
Igreja: carisma e poder. Ensaios de uma eclesiologia militante.
São Paulo, Record.
Obra que estuda o poder dentro da Igreja em sua relação com o carisma. O livro sofreu um processo judicial no Vaticano, cujas atas são recolhidas em amplo apêndice.
Mística e Espiritualidade
A obra escrita em colaboração com frei Betto estuda as formas de mística e de espiritualidade no passado e no presente na cultura e   nos estratos populares.
Ética da vida
Rio de Janeiro, Sextante
Reúne estudos sobre as relações entre nova cosmologia, religião e ética e mostra a centralidade da vida para uma compreensão mais respeitosa e sagrada do mundo.
Virtudes para outro mundo possivel I: a hospitalidade.
Campinas, Verus.
É o primeiro de três tomos que apresentam as virtudes necessárias para a fase planetária da humanidade: a hospitalidade, a convivência, a tolerância, o respeito e a comensalidade. Este estuda minuciosamente a hospitalidade.

2004

Ecologia: grito da Terra, grito dos Pobres.
Rio de Janeiro, Sextante, 320 pp.Visão global da ecologia – ambiental, social, mental e profunda – vista como novo paradigma e em diálogo com a teologia da libertação.
Responder florindo. Da crise da civilização a uma revolução radicalmente humanaReúne pequenos ensaios sobre a crise mundial, sobre o resgate da idéia de revolução, sobre a sustentabilidade e reflexões sobre Deus e a nova biologia e cosmologia.
A voz do arco-iris
Rio de Janeiro, Sextante
Coleção de estudos sobre a pós-modernidade, a violência, o masculino e   as várias formas de experimentar Deus hoje.
Novas formas de Igreja. O futuro de um povo a caminho
Campinas, Verus
Mostram-se as várias formas comunitárias de Igreja que estão nascendo nas bases e como se estruturam os ministérios, os sacramentos e a missão dos cristãos.

2003

Via-Sacra para quem quer viver.
Campinas, Verus, 130 pp.
Reflexões sobre a via-sacra vista a partir de ontem, a paixão do Jesus histórico, e a partir de hoje, a paixão dos pobres nos quais Jesus continua sendo crucificado.
A cruz nossa de cada dia: fonte de vida e ressurreiçao.
Campinas, Verus, 87 pp.
Como pregar a cruz de Cristo sem justificar as cruzes da vida e transformá-la em preço a pagar pelo crescimento.
Etica e eco-espiritualidade.
Campinas, Verus, 203 pp
A ética necessária atualmente é do cuidado, da compaixão e da responsabilidade que somente é efetiva se tiver como fonte de inspiração uma visão espiritual do mundo.
Ethos mundial: um consenso minimo entre os humanos.
Rio de Janeiro, Sextante, 130 pp.
Buscam-se valores mínimos que podem e devem orientar a humanidade a viver em paz, baseados na centralidade da vida e da Terra como Casa Comum.
Civilizaçao Planetaria – desafios a sociedade e ao cristianismo.
Rio de Janeiro, Sextante, 132 pp.
A globalização representa uma nova fase da humanidade que gera uma consciência coletiva de que somos uma família habitando numa única Casa que devemos cuidar.
O Senhor meu Pastor
consolo divino para o desamparo humano.

Rio de Janeiro, Sextante, 155 pp.
A quem agarrar-se num mundo de violência em todos os niveis? Faz-se uma análise minuciosa do salmo 23, do Bom Pastor que promete: “ainda que passes pelo vale da morte, eu estarei contigo”.
  
Terra América: imagens.
com Marco Antonio Miranda
Rio de Janeiro, Sextante, 143 pp.Livro em portuguës e inglês, fruto de uma viagem ecológica do pólo norte ao pólo sul feita pelo fotógrafo Marco Antonio Miranda mostrando os vários ecosistemas com comentários de teor ecológico de L. Boff.
Etica e moral: a busca dos fundamentos.
Petropolis, Vozes, 125 pp.Oferecem-se as experiências humanas básicas que fazem surgir a ética e como ela deve responder aos problemas atuais da globalização, da pobreza e da violência.

2000

Depois de 500 anos: que Brasil queremos.
Petrópolis, Vozes.
Apresenta-se um outro projeto de Brasil madurado nos movimentos sociais e nos partidos libertários e apoiado pela Igreja da libertação
Ethos mundial. Consenso mínimo entre os humanos.
Brasília, Letraviva.
A globalização para ser justa e humana precisa de um consenso ético mínimo sem o qual não manterá unida e correrá um risco de bifurcação entre ricos e pobres
Voz do arco-iris.
Brasilia, Letraviva.
No arco-iris convivem diferentes cores, o que representa um símbolo da convivência de várias experiências religiosas, visões de mundo e de projetos éticos.
Tempo de Transcendência. O ser humano como um projeto infinito.
Rio de Janeiro, Sextante.
Transcendência é a capacidade de ultrapassar todo tipo de limites e colocar-se diante do totalmente Outro, Deus, por onde o ser humano comparece como projeto infinito.

1999

Saber Cuidar. Ética do humano – compaixão pela terra.
Petrópolis, Vozes.
A essência do ser humano reside no cuidado, o que funda a ética mínima que salvaguarda a vida, as relações sociais e a preservação da natureza
Ética da Vida.
Brasília, Letraviva.
A vida é a maior floração do processo de evolução. As sociedades modernas por causa do consumismo ameaçam o sistema da vida, dai a urgência de uma ética da vida.
A oração de São Francisco: uma mensagem de paz para o mundo atual.
Rio de Janeiro, Sextante.
Um comentário analítico e espiritual da famosa oração atribuida a São Francisco:’Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz”.

1998

O despertar da Águia: o dia-bólico e o sim-bólico na construção da realidade.
Petrópolis, Vozes
Continuação do livro A águia e a galinha, aplicando a metáfora para a lógica do universo, da sociedade e da vida humana.
 Das Prinzip Mitgefühl.Texte für eine bessere
Zukunft, Freiburg, Herder.

1997

A Águia e a Galinha.: uma metáfora da condição humana.
Petrópolis, Vozes
O fato de uma águia ser criada junto às galinhas até parecer uma galinha e de como ela voltou a ser águia, serve de metáfora para repensar a condição humana em sua imanência e em sua transcendência.
Espírito na saúde
(com Jean-Yves Leloup, PierreWeil e Roberto Crema) Petrópolis, Vozes. Uma visão integradora da doença e da saúde mostra as virtualidades terapêuticas do Espírito, princípio de vida humana e divina
Os terapeutas do deserto. De Filon de Alexandria e Francisco de Assis a Graf Dürckheim
(com Jean-Yves Leloup). Petrópolis, Vozes- Os caminhos espirituais ontem e hoje se revelam caminhos de integração e de cura. Aqui se mostra especialmente o caminho de São Francisco de Assis como profundamente humanizador e curador.

1996

A Teologia da Libertação: balanços e perspectivas.
(com José Ramos Regidor e Clodovis Boff) São Paulo, Atica. Um balançao minucioso da teologia de libertação em suas várias vertentes depois de 25 anos de existência e irradiação.
 Brasa sob cinzas.
Rio de Janeiro, Ed. Record.– Fatos do cotidiano abrem o espaço para que emerja uma estrutura fundamental do humano: a ternura essencial e o cuidado.

1995

Ecologia – Grito da terra, grito dos pobres.
Atica.– Um estudo sistemático sobre a ecologia em suas várias vertentes, vista não como técnica de gerenciamento de recursos naturais mas como uma nova visão da natureza e do relaciionamento do ser humano com ela, dando origem a uma filosofia, uma ética, uma teologia e uma espiritualidade
Princípio Terra – A volta à Terra como pátria comum.
Atica.A Terra como sistema e como super-organismo vivo, Gaia, e os seres humanos como a Terra que sente, pensa, ama e venera constituem a nova radicalidade, o ponto de referência de tudo.
Igreja: entre norte e Sul.
Atica. A Igreja se situa no Norte rico e no Sul pobre. Como pode ser a ponte para uma justiça e uma paz que abrace as duas partes da Terra.

1994

Mística e Espiritualidade.
(com Frei Betto) Rocco, Rio .– A crise da racionalidade moderna e de todas as utopias provocou uma volta vigorosa do místico e do religioso em todas as sociedades atuais. A mística e a espiritualidade são nichos de sentido e de um novo horizonte de sentido.
Nova era: a civilização planetária.
Atica.- A globalização significa um novo patamar da história da humanidade e da Terra. Funda uma nova era que obriga a redefinir todas as instancias, a sociedade, a filosofia e religião.
Igreja: Carisma e Poder (edição ampliada).
Atica.- Carisma e poder são as duas pilastras que sustentam a Igreja. Historicamente o poder ganhou hegemonia e sacrificou o carisma. Esse livro levou o autor a sentar na cadeira onde sentou Galileu Galilei na ex-inquisição em Roma e foi punido com o “silêncio obsequioso”.
 Je m’explique
Paris, Desclée de Brower.

1990

Nova evangelização: a perspectiva dos pobres.
Petrópolis, Vozes.- Com dados históricos, antropológicos e teológicos procura-se mostrar como o cristianismo latino-americano tem a chance de ser um dos fatores de transformação social, desde que assuma a perspectiva dos oprimidos.

1989

Francisco de Assis: o homem do paraiso.
Petrópolis, Vozes.
O livro comenta os quadros em arte naif de Nelson Porto, apresentando a singularidade de São Francisco como aquele homem que viveu com tanta inocência e amor para com a natureza que nos faz lembrar cotinuamente o paraiso.

1988

A Santíssima Trindade ‚ a melhor comunidade.
Petrópolis, Vozes.
Para os cristãos Deus não é solidão mas comunhão de três divinas Pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo. Esse conceito comunitário de Deus favorece a criação de comunidades humanas e cristãs igualitárias e participativas. 
  O caminhar da Igreja com os oprimidos.
Petrópolis, Vozes.
A partir dos meados do século XX a Igreja Católica começou a deslocar-se do centro do poder dominante para a periferia, inaugurando as pastorais sociais. Daí nasceu a Igreja da base e a teologia da libertação.

1987

Die befreiende Botschaft.
Herder, Freiburg.
A mensagem central do cristianismo é de libertação plena de todas as dimensões da vida humana, por isso o cristianismo não comparece tanto como religião mas antes como o movimento gerador do homem e da mulher novos.

1986

A trindade, a sociedade e a libertação.
Petrópolis, Vozes.
As divinas Pessoas são diferentes para poderem estar sempre em comunhão entre si e formando a comunidade divina. Na SS. Trindade descobrimos o fundamento para um ideal de sociedade onde os diferentes são respeitados em sua diferença e simultaneamente buscam convergências comuns que constroem a iguldade e a comunidade.
E a Igreja se fez povo.
Petrópolis, Vozes.
A Igreja se define como Povo de Deus. Mas povo so existe se previamente se forma uma rede comunidades. A Igreja se fez povo quando fundou as milhares comunidades de base e assumiu a causa da justiça e da libertação dos pobres.
Como fazer Teologia da Libertação?
Petrópolis, Vozes.
Junto com Clodovis Boff se apresenta aqui breve história da teologia da libertação, suas intuições básicas e seu método que se expressou pelo ver, julgar, agir e celebrar.

1985

Francisco de Assis. Saudades do paraíso.
Petrópolis, Vozes.- O pintor naiv Nelson Porto pintou quadros maravilhosos de São Francisco de Assis,comentados aqui por Leonardo Boff.
   Teologia da libertação no debate atual.
Petrópolis, Vozes.- A teologia da libertação provocou no mundo todo um vasto debate envolvendo as autoridades doutrinárias do Vaticano. Nesse livro se procura dar seus tópicos relevantes.

1984

Do lugar do pobre.
Petrópolis, Vozes.- A singularidade da teologia da libertação e da Igreja popular consite em partir sempre do lugar social e espiritual do pobre, donde nasce a urgência da justiça social e da libertação.
 Teologia à escuta do povo.
Petrópolis, Vozes.- Trata-se do relato de viagem pela selva amazônica do Estado do Acre visitando os povos da floresta e suas comunidades de base, desafio para uma teologia que assume os pobres como ponto de partaida da reflexão.
 Como pregar a cruz hoje numa sociedade de crucificados.
Petrópolis, Vozes.- A cruz foi manipulada para justificar e exaltar o sofrimento, quando, na verdade, é o preço a pagar para superar as cruzes que pesam injustamente sobre as pessoas.

1983

Mestre Eckhart: a mística do ser e do não ter.
Petrópolis, Vozes.- Mestre Eckhart do século XIII é o maior místico cristão na linha dos grandes mestres Zen. Aqui são oferecidos, pela primeira vez em portuguës, seus principais textos e pregações.

1982

Via-sacra da ressurreição.
Petrópolis, Vozes.- As gravuras são do pintos naiv Nelson Porto e os textos são de Leonaro Boff, apresentando a via sacra ontem e hoje.

1981

Igreja carisma e poder.
Petrópolis, Vozes. A Igreja se constrói sobre duas pilastras, o carisma de caráter mais espiritual e o poder de natureza organizacional. Na Igreja Católica houve inflação do poder em prejuizo do carisma. O livro recebeu um processo judicial na Congregação para a Doutrina da Fé em Roma em 194 e o autor condenado a um ano de “silêncio obsequioso”.
 Vida segundo o Espírito.
Petrópolis, Vozes.- Ser cristão é viver segundo o Espírito de Jesus e está na base da espiritualidade que consiste não em doutrinas mas em experiências vividas à luz da experiência espiritual de Jesus.
Francisco de Assis – ternura e vigor.
Petrópolis, Vozes.- Francisco de Assis é um dos arquétipos da realização humana que integra a ternura para com todas as coisas e o vigor em assumir compromissos e vivê-los coerentemente. Realça-se sua importância para a nova sociedade nascente e para a ecologia.

1980

 O caminhar da Igreja com os oprimidos.
Codecri, Rio. Como a Igreja brasileira a partir dos meados do século XX redefiniu sua missão histórica, aproximando-se das classes populares, dando origem às pastorais sociais, às comunidades eclesiais de base, à leitura popular da Bíbilia e à teologia da libertação.
A Ave Maria. O feminino e o Espírito Santo.
Petrópolis, Vozes.– Trata-se de um comentário da oração da Ave-Maria, combinando exegese bíblica, antropologia e piedade.
 Libertar para a comunhão e participação.
Rio de Janeiro, CRB.
O objetivo da proposta cristã é criar comunhão com Deus e participação na sociedade. Como há um deficit destes valores se impõe a urgência da libertação para comunhão e a participação.

1979

O rosto materno de Deus.
Petrópolis, Vozes.
Deus não se revela apenas como Pai de bondade mas também como Mãe de infinita misericórida. Aqui se estudam as categorias do feminino e como podem ser aplicadas a Deus.
 O Pai-Nosso. A oração da libertação integral.
Petrópolis, Vozes.
O Pai-Nosso é um resumo da mensagem de Jesus. Através da exegese, da tradição dos grandes comentaristas desta oração e dos desafios de nosso tempo, procura-se atualizar essa mensagem.
Da libertação. O teológico das libertações socio-históricas.
Petrópolis, Vozes.
Trata-se de um aprofundamento da categoria libertação usada em nosso cotidiano e como eixo interpretativo da mensgem de Jesus e da missão da Igreja para os dias atuais.

1978

A fé na periferia do mundo.
Petrópolis, Vozes.
A partir da periferia onde se viceja a pobreza e crescem as ânsias de libertação surgem desafios à fé, ao amor e à esperança cristãs para que atuem de forma libertadora.
   Via-Sacra da Justiça.
Petrópolis, Vozes.
A celebração da via-sacra nas Igrejas e sua dramatização nas comunidades eclesiais de base leva a uma atualização de seu significado simbólico. Cristo continua carregando a cruz, sendo crucificado e ressuscitado na vida os oprimifos.

1977

 Eclesiogênese. As comunidades reiventam a Igreja.
Petrópolis, Vozes.
O fenômeno das milhares de comunidades eclesiais de base propicia uma reflexão sobre a Igreja que nunca está pronta mas está sempre nascendo da fé viva dos fiéis e se organizando de diferents formas, todas elas legítimas.
Paixão de Cristo – Paixão do Mundo.
Petrópolis, Vozes.
A paixão de Cristo é minuciosamente analisada histórica e exegeticamente. Estudam-se as várias significações que lhe foram dadas e como deve hoje ser articulada com a paixão sofredor do mundo.

1976

A graça libertadora no mundo.
Petrópolis, Vozes.
É um tratado sobre a graça mostrando como ela signfica a presença amorosa, crítica e libertadora do próprio Deus no mundo e nas várias situações pessoais e sociais do ser humano.
 Teologia da libertação e do cativeiro.
Multinova, Lisboa.
Um tentativa de sistematizar metodologica e teologicamente a teologia da libertação, mostrando seu nascimento nos paises periféricos e pobres e sua relevância para o Cristianismo mundial.
    Encarnação: a humanidade e a jovialidade de nosso Deus.
Petrópolis, Vozes
São reflexões espirituais e teológicas sobre a encarnação de Deus em nossa existência frágil e mortal e como se revela por ai um novo rosto de Deus, humano e jovial.

1975

Mínima Sacramentalia. Os sacramentos da vida e a vida dos sacramentos.
Petrópolis, Vozes.
Hoje perdemos a noção de sacramento, muitas vezes entendido de forma mágica. Resgata-se seu sentido original, situando-os dentro da dimensão simbólica da vida, sempre cheia de objetos e lembranças sacramentais.
    A vida religiosa e a Igreja no processo de libertação.
Vozes/CNBB.
O empenho social da Igreja e da vida religiosa em prol dos pobres e oprimidos, visando mudanças estruturais na sociedade, obrigou a uma redefinição da missão Igreja e da vida religiosa. Aqui se delineiam as principais mudanças.

1974

Atualidade da experiência de Deus
Petrópolis, Vozes.
Deus não é uma categoria religiosa definida uma vez por todas. Ela tem de ser continuamente densconstruida e reconstruida para preservamos a natureza de Deus, sempre mistério que se revela em tudo e também se vela mas conferindo um sentido plenificador à vida e ao mundo.