O humor como expressão de saúde psíquica e espiritual

Todos os seres vivos superiores possuem acentuado sentido lúdico. Basta observa os gatinhos e cachorros de nossas casas. Mas o humor é próprio só dos seres humanos. O humor nunca foi considerado tema “sério” pela reflexão teológica, sabendo-se que ele se encontra presente em todas as pessoas santas e místicas que são os únicos cristãos verdadeiramente sérios. Na filosofia e na pscinálise teve melhor sorte.

Humor não é sinônimo de chiste, pois pode haver chiste sem humor e e humor sem chiste. O chiste é irrepetível. Repetido, perde a graça. A historieta cheia de humor conserva sua permanente graça; e gostamos de ouvi-la repetidas vezes.

O humor só pode ser entendido a partir da profundidade do ser humano. Sua característica é ser um projeto infinito, portador de inesgotáveis desejos, utopias, sonhos e fantasias. Tal dado existencial faz com que haja sempre um descompasso entre o desejo e a realidade, entre o sonhado e sua concretização. Nenhuma instituição, religião, Estado e lei conseguem enquadrar totalmente o ser humano, embora existam exatamente para enquadrá-lo a um certo tipo de ordem. Mas ele desborda estas determinações. Dai a importância da violação do inerdito para a vivência da liberdade e para que surjam coisas novas. Isso na arte, na literatuar e também na religião.

Quando se dá conta desta diferença entre a lei e a realidade – veja-se por exemplo, a exdrúxula moral católica sobre a proibição do uso da camisinha em tempos em que grassa a AIDs – surge o sentido do humor. Dá vontade de rir, pois é tudo tão fora do bom senso, é tanto discurso proferido em pleno deserto que ninguém escuta nem observa que só podemos ter humor. Essas pessoas vivem na lua não na Terra.

No humor se vive o sentimento de alívio do peso das limitações e do prazer de ve-las relativas e sem a importância que elas mesms se dão. Por um momento, a pessoa se sente livre dos super-egos castradores, das injunções impostas pela situação e faz uma experiência de liberdade, como forma de plasmar seu tempo, dar sentido ao que está fazendo e construir algo novo. Por detrás do humor vigora a creatividade, própria do ser humano. Por mais que haja constrangimentos naturais e sociais, sempre há espaço para se criar algo novo. Se não fosse assim não haveria gênios na ciência, na arte e no pensamento. Inicialmente são tidos por “loucos”, excêntricos e anormais. Quando tudo passou, um novo olhar descobre a genialidade de um van Gogh, a criatividade fantástica de Bach, quase desapercebido no seu tempo. De Jesus se diz que “os seus sairam para agarrá-lo, pois diziam “ele está louco”(Mc 3,21). De São Francisco se disse a mesma coisa: ele é um “pazzus” um louco, coisa que ele aceitava como expressão da vontade de Deus. E era uma santo cheio de de humor e alegria a ponto de o chamaram”frade-sempre-alegre”.

Em palavras mais pedestres: o humor é sinal de que nos é impossível definir o ser humano dentro de um quadro estabelecido. Em seu ser mais profundo e verdadeiro é um criador e um livre.

Por isso, pode sorrir e ter humor sobre os sistemas que o querem aprisionar em categorias estabelecidas. E o ridículo que constatamos em senhores sérios (por exemplo, professores, juízes, diretores de escola e até monsenhores) que querem, solenemente e com ares de uma autoride superior, quase divina, fazer dos outros cegos e submissos ou quais ovelhas terem que  obedeçer às suas ordens. Isso também causa humor.

Acertado estava aquele filósofo (Th. Lersch Philosophie des Humors, Munique 1953, 26) que escreveu: “A essência secreta do humor reside na força da atitude religiosa. Pois o humor vê as coisas humanas e divinas na sua insuficiência diante de Deus”. A partir da seriedade de Deus, o ser humano sorri das seriedades humanas com a pretensão de serem absolutamente verdadeiras e sérias. Elas são um nada diante de Deus. E existe ainda toda uma tradição teológica que nos vem dos Padres da Igreja Ortodoxa que falam do Deus ludens, (do Deus lúdico) pois criou o mundo como um jogo para o seu próprio entretenimnento. E o fazia, sabiamente, unindo humor com seriedade.

Quem vive centrado em Deus tem motivos de cultivar o humor. Relativiza as seriedades terrenas, até os própros defeitos e é um livre de preocupações. São Thomas Morus, condenado à guilhotina, cultivou o humor até o fim: pedia aos algozes que lhe cortassem o pescoço mas lhe poupassem a longa barba branca. São Lourenço sorria com humor dos algozes que o assavam na grelha e os incitava a virá-lo do outro lado porque de um lado estava vem cozido ou do Santo Inácio de Antioquia, bispo, ancião e referência de toda a Igreja dos primórdios, que suplicava aos leões que viessem devorá-lo para passar mais rapidamente à felicidade eterna.

Conservar esta serenidade, viver em estado de humor e compreende-lo a partir das insuficiências humanas é uma graça que todos devemos buscar e pedir a Deus.

29 comentários sobre “O humor como expressão de saúde psíquica e espiritual

  1. A memória e o humor do garoto que fui há quase meio século, e a constatação da estrutura patrimonialista autoritária secular das instituições e das pessoas no poder, por menor que seja, de nossa história:
    A “Carteirinha de Estudante” (1974), o Diretor e Eu (garoto)
    Enviado por Oswaldo Conti-Bosso, dom, 03/02/2013
    http://advivo.com.br/blog/oswaldo-conti-bosso/a-%E2%80%9Ccarteirinha-de-estudante%E2%80%9D-1974-o-diretor-e-eu-garoto

    Prova no mimeógrafo, perdi a prova, mas não piada
    Enviado por Oswaldo Conti-Bosso, qui, 24/01/2013
    http://advivo.com.br/blog/oswaldo-conti-bosso/prova-no-mimeografo-perdi-a-prova-mas-nao-piada

    Curtir

  2. Amém! Ontem, coincidentemente estava lendo as tirinhas da Mafalda e pensando quão difícil é fazer humor da qualidade.

    Curtir

  3. Republicou isso em Empreender e Teologare comentado:
    Compartilho esse post do nosso querido L.Boff sobre o humor, pois o mundo carece de humor, de risadas, de alegrias. E mais, engana-se aquele que deve levar a vida sempre com tanta severidade e sem humor. Não leve a vida tão a sério, pois Deus é Amor e Humor também! O Cristão é um ser de alegria!
    Paz!

    Curtir

  4. Alguém já me disse que o mundo em que vivemos carece de bons humoristas, não apenas aqueles que são profissionais, que vivem e se sustentam com tal profissão, mas de seres humanos bem humorados, sem o humor negro que nos contamina. Realmente, com frequência nos deparamos com pessoas que experimentam experiências recheadas de humor, humor leve, simples, sem nenhuma “forçação de barra” e que, por estarem em outro patamar, muitas vezes se tornam antipáticas aos nossos olhos. Inveja? Provavelmente sim. Pois, ao invés de fulminá-las com nossos
    maus humores,que as copiemos. Luciano Leão.

    Curtir

  5. Dear LB

    As you didin´t answer nothing, at all, I have a thing to tell you :

    Malthus…
    literally speaking..
    and a WW III, is coming, sooner…

    And to complete the picture, Israel is doing an etnical killing in Gaza and others places, as the USA.
    The poorest, the innocents, the children, the older, the women, and the humanity that may exist inside each one of us, are being killed…

    One of the opium it is “religion”, that works as a catalyzer, and promise of a paradise at the “other side”. That manual “Directorium Inquisitorum”, still is the “bible” for such purpose.

    Nietzche was correct : “From all animals, man is the most cruel, he has the consciounnes, and (by now I have doubt) the intelligence to search to a solution”, and finally the knowledge to do this”.

    Curtir

  6. O portuga chegou em casa ofegante e diz: Manuela, vim correndo atrás do ônibus e economizei três reais. Mas, a Manuela retruca: Como és burro Manuel ! Se viesses atrás do taxi economizarias muito mais.
    ZIRALDO ALVES PINTO. O ALVES É DA MÃE E O PINTO É DO PAI.
    Os ATOS INSTITUCIONAIS DAS DITADURAS SÃO VERDADEIROS AIS E AS BEM-AVENTURANÇAS FORAM ACOMPANHADAS DOS MAS…AI DE VÓS…seriedade e humor andam juntos. Certamente que Deus se arrepende e ri de nossa estupidez e durezas…
    Rubinho morreu! VIVA RUBEM ALVES ! Rei da prosa e do humor.

    Curtir

  7. Vem-me à lembrança uma despretensiosa quadra atribuída a Juca Chaves: “Faço mesmo muito humor, que o humor é a minha prece. Quero Deus sorrindo um pouco, afinal, ele merece!.

    Curtir

  8. É muito interessante despertar aqui no centro oeste indiano e ler seu texto, em um momento que estou brigando contra essa possibilidade de perder o meu humor com determinadas crenças, dogmas e todo um conjunto de “coisas” que me fazem perder essa parte tão importante e que é essencial para viver por aqui. Tenho muitas perguntas e estou em busca das respostas. Obrigado pelo generoso texto.

    Curtir

  9. Belo texto,pelo menos tenho o pensamento parecido com o dele,tenho um bom humor graças a minha mãe que por tudo que passou era muito alegre e feliz.

    Curtir

  10. Infelizmente nem sempre é possivel ter bom humor de livre e espontanea vontade. Pois você pode ter algum transtorno psiquiatrico que o blinda contra o bom humor. Exemplos: depressão, ansiedade crônica , etc.
    Até o dia em que um médico lhe oferece um antidepressivo. Eu, como médico, generalista e cardiologista, nada entendia sobre a psique humana. Até o dia em que Deus me enviou minha filha , com Síndrome de Tourette, em que fui obrigado a entender o assunto para melhor ajudar no tratamento. E para o meu espanto, ao estudar a área, diagnostiquei-me com quadro de bipolaridade e ansiedade , que explicava meu comportamento prévio fechado e ansioso. Hoje , após passar a tomar medicamentos e melhorar o humor, percebo que não só de hóstia vive o homem , mas também de antidepressivos e reguladores do humor.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s