Frei Betto: vote Brasil em 2018

Estamos todos perplexos, sem saber para onde vai o país com um presidente com 97% de rejeição e uma grande desmorlização do Parlamento, com um número grande de deputados e senadores acusados ou denunciados por corrupção.Apesar disso, devemos pensar no Brasil e em seu povo que está sofrendo sob medidas que ferem direitos conquistados há décadas por muito sacrfício. Não podemos perder a esperança e deixar de crer na resiliênica, resistência e capacidade de invenção dos movimentos sociais e dos cidadãos preocupados com o  futuro comum. Esse artigo de Frei Betto é um chamado a assumir a causa Brasil e votar em quem se compromete com o país e seus bens para que não sejam alienados para estrangeiros, pondo em risco o bem-estar geral. Lboff

*******************************

Já que tudo indica que Temer permanece à frente do governo até dezembro de 2018, dado que a sua base aliada no Congresso decidiu obstruir a Justiça, fica a pergunta: quem eleger para sucedê-lo?

Pesquisas eleitorais que já tiveram início destacam uma dúzia de prováveis candidatos. E os eleitores reagem de diferentes formas. Há os que já decidiram não votar. É a turma do Partido Ninguém Presta. Atitude meramente emocional. Quem tem nojo de política é governado por quem não tem. E tudo que os maus políticos querem é que viremos as costas à política para dar a eles carta branca.

Há os que votarão no próprio umbigo em defesa de seus interesses corporativos, como os eleitores da bancada do B: boi, bala, bola, bancos e Bíblia. Esses escolherão candidatos afinados com o latifúndio, o desmatamento da Amazônia, o extermínio dos indígenas, o mercado financeiro, a homofobia, a privatização do patrimônio público e o Estado mínimo.

Um contingente de eleitores votará em quem seu mestre mandar. É o rebanho eleitoral, versão pós-moderna do coronelismo, agora substituído por padres e pastores, figuras midiáticas e chefes de organizações criminosas.

Há ainda o eleitor que se deixará levar pela propaganda eleitoral. Votará em quem lhe parecer mais simpático, sem sequer conhecer os projetos políticos do candidato. É aquela empatia olho no olho que não vê mente, coração e bolsos…

E há os que votarão em candidatos progressistas, ou naqueles que assim se apresentarão nos palanques, na esperança de resgatar os direitos cassados pela atual reforma trabalhista e corrigir os desmandos do governo Temer, para que o país volte a crescer e ampliar seus programas sociais.

Ora, devemos votar no Brasil que sonhamos para as futuras gerações. Isso significa priorizar programas e projetos, e não candidatos. Um país no qual coincidam democracia política e democracia econômica. De que vale o sufrágio universal se não repartimos o pão?

Votar no Brasil que requer profundas reformas estruturais, como a tributária, com impostos progressivos; a agrária, com o fim do latifúndio e do trabalho escravo; a política e a judiciária. Brasil que promova os direitos das populações indígenas, quilombolas e ribeirinhas. Brasil de democracia participativa e no qual o Estado seja o principal indutor do desenvolvimento, com distribuição de riqueza e preservação ambiental.

Fora disso, tudo ficará como dantes no quartel de Abrantes. Ou pior.

Votar é importante, mas não suficiente. Porque no Brasil tradicionalmente nós votamos e o poder econômico elege. Em 2018, porém, será a primeira eleição para o Congresso e a presidência da República na qual as empresas não poderão financiar campanhas políticas, como faziam as que estão denunciadas pela Lava Jato. Isso não significa que o caixa dois será extinto. Seria muita ingenuidade pensar que políticos que se lixam para a ética não haverão de encontrar formas de obter dinheiro ilegal.

Por isso, é um erro jogar nas eleições todas as fichas da nossa esperança em um Brasil melhor. O mais importante é investir no empoderamento popular. Reforçar os movimentos sociais e sindicais, intensificar o trabalho de formação política e consciência crítica, dilatar os espaços de pressão, reivindicação e mobilização. Só conseguiremos mudanças significativas se vierem de baixo para cima.

Frei Betto é escritor, autor de “Reinventar a vida” (Vozes), entre outros livros.

 

12 comentários sobre “Frei Betto: vote Brasil em 2018

  1. Excelente análise! Citou e não frisou que existe o grupo dos religiosos (se são realmente???) que através do seu poder religioso fazem seus fiéis votarem em seus representantes, criando este grupo com interesses não esclarecidos!?!

    Curtir

  2. FREI BETO EM QUEM CONFIAR? SÓ SE DOS CÈUS VINHER UM GOVERNO E SIM ELE VIRÁ, PORQUE AQUI DA TERRA NENHUM HUMANO PODERÁ POR ORDEM E JUSTIÇA, ENQUANTO ESTIVERMOS MANIPULADOS POR UM SISTEMA ENGANOSO E ESMAGADOR.

    Curtir

  3. Opinião de pilantras que usufruem de religião não merecem credibilidade, principalmente porque nada fazem para o bem da sociedade. Crápulas sem escrúpulos. O Brasil sabe bem o que quer. Chau vagabundos. Vão, finalmente, ter que trabalhar. O Batistti também vai com vocês. Beijos.

    Curtir

  4. Republicou isso em Paulosisinno's Bloge comentado:
    Compartilhando do Leonardo Boff: “Estamos todos perplexos, sem saber para onde vai o país com um presidente com 97% de rejeição e uma grande desmoralização do Parlamento, com um número grande de deputados e senadores acusados ou denunciados por corrupção. Apesar disso, devemos pensar no Brasil e em seu povo, que está sofrendo sob medidas que ferem direitos conquistados há décadas com muito sacrifício. Não podemos perder a esperança e deixar de crer na resiliência, resistência e capacidade de invenção dos movimentos sociais e dos cidadãos preocupados com o futuro comum.
    Esse artigo de Frei Betto é um chamado a assumir a causa Brasil, e votar em quem se compromete com o país e seus bens, para que não sejam alienados para estrangeiros, pondo em risco o bem-estar geral.”

    Curtir

  5. Excelente artigo de Frei Betto. A expressão- chave “empoderamento popular”. Como fazer isso no âmbito da Igreja, que mantém a maioria do povo, que nela busca pertencimento, se não contextualizar os Evangelhos nos problemas do contexto econômico, social, político e ideológico do “Naquele tempo Jesus” e nos dias atuais. E as igrejas são os maiores partidos políticos e ideológicos. Parabéns, Frei Betto, pelos seus livros de 2017: “Ofício de escrever” e “PARÁBOLAS DE JESUS: ética e valores universais”.

    Curtir

  6. Um dos companheiros de Lula narrou para a UOL o que se lê abaixo:
    ” O ex-presidente foi preso em 19 de abril de 1980, acusado de ser o principal “agitador” das greves, que não eram aceitas pela ditadura que governava o país. Djalma Bom, um dos diretores do sindicato na época, também foi detido e ficou 31 dias com Lula na mesma cela.
    Ele elege uma cena daquele mês como a mais difícil da vida do amigo, momento mais complicado do que o vivido hoje: “Lula estava no beliche em cima da minha. Ele abaixou, com lágrimas nos olhos e disse: ‘Djalma, minha mãe morreu”, conta.

    Casuarina – Senhora Liberdade (Feat. Wilson Moreira) (DVD MTV Apresenta: Casua

    Curtir

  7. MEMÓRIA FAZ PARTE DA HISTÓRIA

    Um dos companheiros de Lula narrou para a UOL o que se lê abaixo:
    ” O ex-presidente foi preso em 19 de abril de 1980, acusado de ser o principal “agitador” das greves, que não eram aceitas pela ditadura que governava o país. Djalma Bom, um dos diretores do sindicato na época, também foi detido e ficou 31 dias com Lula na mesma cela.
    Ele elege uma cena daquele mês como a mais difícil da vida do amigo, momento mais complicado do que o vivido hoje: “Lula estava no beliche em cima da minha. Ele abaixou, com lágrimas nos olhos e disse: ‘Djalma, minha mãe morreu”, conta.

    Curtir

  8. O povo no meu sentir … DEVERIA É NÃO VOTAR N I N G U E M… E PONTO. E A POLÍCIA COMUM FECHAR O BRASIL … PARA BALANÇO POPULAR… E PASSAR O BRASIL A LIMPO… PARA DEVOLVER PARA O POVO O QE EH DO POVO… PORQE COMO ESSES DEPUTADOS DEIXARAM PASSAR A REFORMA TRABALHISTA? Por.Deus ainda querem a REFORMA.DA PREVIDÊNCIA… C H E G A A… SRs. O.Governo de.São

    Curtir

  9. “Vigiai e orai para que não entreis em tentação. O espírito está pronto mas a carne é fraca.” (Mateus 26,41). Tentação do desânimo… Somos filhos de Deus, não de “João Ninguém”. Oremos e unamos nossas forças benéficas e seremos vencedores !

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s