Pular para o conteúdo

Oração de agradecimento de um chefe indígena

31/12/2019

Ao participar de encontros internacionais sobre questões ecológicas, me dei conta de que  sempre estão presentes os povos originários, pois são os protagonistas na manutenção e na proteção da vida. No começo de cada intervenção, naturalmente, fazem uma oração evocativa ao Grande Espírito, como se fosse a coisa mais natural do mundo. São palavras sábias, nascidas da observação da natureza, das estrelas e da vida. Nós, ocidentais, perdemos o sentido sagrado de todas as coisas, pois não nos sentimos parte do Todo. Da falta deste pertencimento se deriva, em grande parte, nossa crise ecológica. Temos uma relação de uso da natureza e esquecemos que cada um de nós está ligado a outro e que cada ser possui um valor em si mesmo.Por isso deve ser respeitado e agradecer por sua existência. Todos estamos dentro do Círculo da Vida. Cada indígena sente em seu próprio corpo a natureza, na vida, nos ossos, na carne, no espírito. Face à emergência ecológica atual, precisamos revisitar os portadores do Sagrado da Natureza, de seu Respeito e do sentimento de Pertença. Eles detém a chave que pode nos fazer sair da crise e resgatar a Sagrada Unidade de todas as Coisas e nosso lugar dentro dela. Para iniciar a nova década, nada melhor que unirmo-nos à esta expressiva oração que o Grande Chefe Aho da nação Lakota, dos EEUU fez pensando em todos também em  nós, seus parentes.   LBoff

 

Oração dos indígenas da nação Lakota que vive nos USA.

Até hoje continuam rezando a seguinte oração.

O Chefe Aho MITAKUYE OYASIN 

a todos os meus Parentes: 

 

Eu honro a todos vocês que hoje estão aqui conosco, neste círculo da vida.

Estou grato pela oportunidade de dar-lhes meu reconhecimento e agradecimento, a vocês, nesta oração….

 

Para o Criador, pelo dom supremo da vida,

eu agradeço.

 

Para ao “Povo Mineral” que tem construído e mantido meus ossos e todo o projeto de minhas experiências de vida,

eu agradeço.

 

Para ao “Povo Vegetal” que sustenta meus órgãos, mantém meu corpo sadio e me dá ervas curativas em caso de doença,

eu agradeço.

 

Para ao “Povo Animal” que me alimenta de sua própria carne e oferece sua companhia leal nesta caminhada da vida,

eu agradeço.

 

Para ao “Povo Humano” que compartilha comigo o mesmo caminhar como se fôssemos uma só alma dentro da roda sagrada da vida terrena,

eu agradeço.

 

Para o “Povo Espiritual” que, invisível, me guia através dos altos e baixos da vida e por carregar a tocha de luz através dos tempos,

eu agradeço.

 

Aos “Quatro Ventos” de mudança e de crescimento,

eu agradeço.

 

Vocês todos são meus Parentes, sem os quais eu não viveria.

 

Estamos todos no Círculo da Vida, juntos e dependentes uns dos outros, tecendo o nosso destino comum. Um não é menos importante que o outro.

 

Um Povo vivo e em crescimento está interligado com todos os outros Povos, um relacionado com o com o outro e dependente com aquele que está acima e com aquele que está abaixo.

 

Todos nós somos uma parte do Grande de Mistério. 

 

Obrigado por esta vida.

O Grande Chefe Aho

 

 

12 Comentários leave one →
  1. Rosangela Maciel permalink
    31/12/2019 19:27

    Amo os Indígenas! Somos todos um neste imenso Universo da Mãe Terra. E que todos possam alcançar esta Consciência e Sintonia. Feliz Jornada neste Ano Novo, um novo tempo de r- Evolução!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Vanise Rezende permalink
    31/12/2019 20:00

    Caro Leonardo. Na sua sabedoria de caminhante e partícipe da realidade de tantos povos, e muito especialmente do povo latino-americano, você tem uma grande sensibilidade para descobrir e acolher neste seu espaço – e de todos nós que te seguimos – a palavra profunda e poética dos cidadãos do mundo, com as suas grandezas e simplicidades. Obrigada, de coração! E obrigada por você continuar a nos presentear com sua palavra tão experiente e carregada do espírito de Deus, que emana em sua vida. Eu tenho mais ou menos a sua idade, e reproduzo muitas vezes no meu blog os textos que você divulga aqui. Desejo que a bênção do Espírito que gerou o Menino de Nazaré te mantenha entre nós com saúde e paz, porque muito nos conforta sua palavra, seu testemunho e sua presença fraterna. Um Feliz Novo Ano de resistência, e de carinho pelos povos que habitam este país, nas suas ricas diferenças e paisagens. Vanise Rezende – do Recife.

    Curtido por 1 pessoa

    • 31/12/2019 22:45

      Vanise, são belas e muito adequadas suas reflexões. Folgo em saber que meus escritos são acompanhados por vc e também divulgados. Mantenhamos as mãos unidas para o país sair melhor desta crise que assola especiaolmente os pobres. Bom ano e muitas graças divinas para vc.. Lboff

      Curtir

      • Vanise Rezende permalink
        17/05/2020 11:30

        Caro Leonardo. Continuo acompanhando todas as suas excelentes publicações e também outras que você seleciona, para nos enriquecer de outros olhares. O seu texto sobre o trabalho de cuidado dos enfermeiros e sobre o post Covid-19 são uma grande contribuição aos nossos muitos porquês. Há porém outras questões que nos afligem nesse período do Covid-19 – a dor dos que perdem seus entes queridos e a aflição dos mais vulneráveis que muitas vezes são vítimas da fome e mais ainda, da sua própria ignorância. No post-Covid-19 o que teremos aprendido sobre a cruel desigualdade que ultimamente se amplia no nosso desgovernado país? Gostaria de conhecer o seu olhar sobre isto. Com o meu fraterno agradecimento e preces para que você continue com saúde para exercer essa sua tarefa de pastor cordial de nós todos que abraçamos a espiritualidade do Deus Amor e da Terra-Mãe. Saudações, Vanise Rezende.

        Curtir

      • 17/05/2020 21:23

        Vanise, estou pensando em escrever sobre isso. Esse que publiquei agora no blog vai nessa linha. Obrigado pelas palavras generosas. Lboff

        Curtir

  3. Marízia Costa Carmo Lippi permalink
    31/12/2019 21:57

    A oração expressa a sensibilidade em plenitude. Para com Deus e para com todas as criaturas: humanas, animais, vegetais, etc. Os ditos civilizados perderam a sensibilidade de um modo geral.é a plenitude do desamor: a Deus, ao próximo e à casa comum.É a degradação do ser criado à imagem e semelhança de Deus. Precisamos, especialmente os batizados de assumir nossa missão de ser sal da Terra e luz do Mundo, motivados pela ordem do Senhor: “Sede santos porque Eu, o Senhor, vosso Deus Sou Santo.” (Levítico: 11,44 ; 19,2 ; 20,26).

    Curtir

    • 31/12/2019 22:42

      Marízia, bela e comovente reflexão. Oxalá isso predominasse nos twitters e nos blogs. Bom ano com graças abundantes de Deus. lboff

      Curtir

      • Marizia Lippi permalink
        01/01/2020 17:36

        Caríssimo, agradeço os Votos do Santo Natal e do Ano Novo. Que nós batizados nos inspiremos na Oração dos Leigos, cujo dia é comemorado no Dia de Cristo Rei, e por sinal não divulgado , infelizmente. “Ide e pregai o evangelho a toda criatura”.(Marcos 16,15).É nosso dever ser “sal da terra e luz do mundo.” Cordial e Fraternalmente, Marízia Lippi.

        Curtir

  4. Neuceli Silva permalink
    01/01/2020 20:20

    Que a consciência humana esteja conectada com a preservação da vida neste ano que se inicia

    Curtir

  5. ecopriscilares permalink
    02/01/2020 16:39

    Republicou isso em Sinto, logo sou.

    Curtir

  6. 02/01/2020 17:17

    Republicou isso em Paulosisinno's Bloge comentado:
    Compartilhando da página do Leonardo Boff: “Oração de agradecimento de um chefe indígena
    31/12/2019
    Ao participar de encontros internacionais sobre questões ecológicas, me dei conta de que sempre estão presentes os povos originários, pois são os protagonistas na manutenção e na proteção da vida. No começo de cada intervenção, naturalmente, fazem uma oração evocativa ao Grande Espírito, como se fosse a coisa mais natural do mundo. São palavras sábias, nascidas da observação da natureza, das estrelas e da vida. Nós, ocidentais, perdemos o sentido sagrado de todas as coisas, pois não nos sentimos parte do Todo. Da falta deste pertencimento se deriva, em grande parte, nossa crise ecológica. Temos uma relação de uso da natureza e esquecemos que cada um de nós está ligado a outro e que cada ser possui um valor em si mesmo.Por isso deve ser respeitado e agradecer por sua existência. Todos estamos dentro do Círculo da Vida. Cada indígena sente em seu próprio corpo a natureza, na vida, nos ossos, na carne, no espírito. Face à emergência ecológica atual, precisamos revisitar os portadores do Sagrado da Natureza, de seu Respeito e do sentimento de Pertença. Eles detém a chave que pode nos fazer sair da crise e resgatar a Sagrada Unidade de todas as Coisas e nosso lugar dentro dela. Para iniciar a nova década, nada melhor que unirmo-nos à esta expressiva oração que o Grande Chefe Aho da nação Lakota, dos EEUU fez pensando em todos também em nós, seus parentes. LBoff

    Oração dos indígenas da nação Lakota que vive nos USA.

    Até hoje continuam rezando a seguinte oração.

    O Chefe Aho MITAKUYE OYASIN
    a todos os meus Parentes:

    Eu honro a todos vocês que hoje estão aqui conosco, neste círculo da vida.

    Estou grato pela oportunidade de dar-lhes meu reconhecimento e agradecimento, a vocês, nesta oração….

    Para o Criador, pelo dom supremo da vida,

    eu agradeço.

    Para ao “Povo Mineral” que tem construído e mantido meus ossos e todo o projeto de minhas experiências de vida,

    eu agradeço.

    Para ao “Povo Vegetal” que sustenta meus órgãos, mantém meu corpo sadio e me dá ervas curativas em caso de doença,

    eu agradeço.

    Para ao “Povo Animal” que me alimenta de sua própria carne e oferece sua companhia leal nesta caminhada da vida,

    eu agradeço.

    Para ao “Povo Humano” que compartilha comigo o mesmo caminhar como se fôssemos uma só alma dentro da roda sagrada da vida terrena,

    eu agradeço.

    Para o “Povo Espiritual” que, invisível, me guia através dos altos e baixos da vida e por carregar a tocha de luz através dos tempos,

    eu agradeço.

    Aos “Quatro Ventos” de mudança e de crescimento,

    eu agradeço.

    Vocês todos são meus Parentes, sem os quais eu não viveria.

    Estamos todos no Círculo da Vida, juntos e dependentes uns dos outros, tecendo o nosso destino comum. Um não é menos importante que o outro.

    Um Povo vivo e em crescimento está interligado com todos os outros Povos, um relacionado com o com o outro e dependente com aquele que está acima e com aquele que está abaixo.

    Todos nós somos uma parte do Grande de Mistério.

    Obrigado por esta vida.

    O Grande Chefe Aho.”

    Curtir

Trackbacks

  1. Oração de agradecimento de um chefe indígena — Leonardo Boff | PELOTAS OCCULTA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: