Presidenta Dilma, exija um referendo nacional

“Presidente Dilma, exija um referendo nacional”
“Que a presidente evite aceitar o encurralamento em que os ruralistas e seus comparsas a colocaram – incluindo com ameaça pública de que derrubarão quaquer veto e exija a convocação de um Referendo nacional, para que a cidadania expresse soberanamente se aceita ou não o código florestal votado pelo Congresso”. O comentário e a proposta é de Ivo Poletto, assessor do Forum Mudanças Climáticas e Justiça Social em artigo no seu blog, 28-04-2012.

Eu mesmo, LBoff, tempos atrás sugeri no twitter que a Presidenta Dilma convocasse um plebiscito popular para que a nação inteira pudesse discutir as principais questões ligadas ao nosso futuro como espécie humana, à natueza, ao Planeta, à nossa civilização e importância do Brasil para uma saida bem sucedida da atual crise ecológica global.

Eis o artigo de Ivo Poletto

Não ocuparei sua paciência com novos argumentos críticos em relação ao que estão chamando “novo código florestal”, aprovado pelo Congresso Nacional. Na verdade, nada de novo. Pelo contrário, um retrocesso, pelo menos para quem tem como critérios de prática política a defesa e promoção da vida humana na Terra e da vida da própria Terra. Se for sancionado pela presidente Dilma, o ambiente da vida estará muito mais ameaçado, ao lado, é claro, de novos privilégios, novas oportunidade econômicas para os que dominam a terra e seus filhos e filhas.

Por isso, amigos e amigas, junto com o apoio ao movimento Veta Dilma – e a todo o projeto, porque os deputados e senadores conseguiram contaminá-lo no seu todo -, defendo e tenho apresentado, através de amigos com responsabilidades no governo federal, à própria presidente, a proposta seguinte: que ela, como Chefe de Estado, cumprindo as funções constitucionais que lhe foram confiadas pela cidadania, evite aceitar o encurralamento em que os ruralistas e seus comparsas a colocaram – incluindo com ameaça pública de que derrubarão quaquer veto -, e exija a convocação de um Referendo nacional, para que a cidadania expresse soberanamente se aceita ou não o código florestal votado pelo Congresso.

Se a decisão majoritária for contra, o país continuará melhor, e muito melhor, servido com o Código Florestal ainda vigente. E se algo dele deve ser melhorado, que seja feito através de processo realmente democrático, e não por meio da imposição de representantes que agem sem a mínima consulta aos seus representados, que são a única fonte seberana de poder na sociedade democrática. E que, neste caso, agiram em defesa dos seus próprios interesses e dos interesses dos finaciadores de suas campanhas políticas, com recursos utilizados para enganar os que neles votaram, pois certamente a maioria deles nunca imaginou que imporiam ao país esse tipo de legislação criminosa.

Reflitam sobre esta proposta, e trabalhem por ela se concordarem com os argumentos que a sustentam e se não tiverem medo de consultar a soberania popular, que decidirá a partir de ampla informação crítica, que caberá a todos nós levar a toda a população do país.

59 comentários sobre “Presidenta Dilma, exija um referendo nacional

  1. Leonardo, coincidência ou não, ontem participei do Encontro Nacional do Setor do Meio Ambiente do PT em Brasília, onde defendi a idéia do Referendo popular a respeito do Código Florestal. Esta proposta foi aprovada para ser encaminhada ao Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores. Precisamos do apoio popular a fim de que a Presidente Dilma se sensibilize com esta idéia e a efetive. Referendo já!!!

    Curtir

  2. Não é possível conviver com um legislativo assim, onde os eleitos perderam a vergonha, a linha e o carretel. Dilma tem que vetar sem esperar muito. Veta e estabelece um referendo para apreciação do povo e o povo decide Sim ao veto ou Não. Agora eu não sei se Dilma vetar, o projeto volta imediatamente ao Congresso. Eu só sei que eu quero que a Dilma vete esse projeto absurdo. Que ela não seja louca de assumir o lado dos ruralistas.

    Curtir

    • Olha, imagino que tipo de gente é esta que nós, o povo, colocamos no Congresso Nacional, pessoas que fazem de tudo para ganhar dois metros de terra a mais, quando sabem eles que desmatar até o rio causa o assoreamento dos mesmo, com tal atitude prejudicam todo o ecossistema. A própria ganância os destruirá. E isto para os latifundiários que possuem milhões de hectares para plantar, é realmente olho grande demais. Referendo já.

      Curtir

  3. A maioria do povo brasileiro – aqueles que não possuem blogs, não frequentam redes sociais e, se e quando frequentam, não o fazem para debater código florestal do sofá da própria casa, sequer sabe da existência desse código. São aqueles que, se chamados a opinar, são capazes de, inteligentemente, se voltarem contra os interesses e os motivos de quem se acha na posição de mobilizar a nação inteira por causa de um pedaço de terra que não lhes pertence como se tivesse esse direito, legitimando aqueles que, por expressarem essa preocupação, constituíram bancada de parlamentares e se mobilizaram para isso, os ruralistas.
    Democracia direta proposta por quem possui partido político e está no governo exercendo o poder é uma das coisas mais bizarras sobre a face da Terra.

    Curtir

    • Mauricio,
      Bizarro é pensar uma democracia sem seu fundamento que é a soberania popular. A Constituição brasileira e que eu saiba de todos os paises prevê o recurso ao Referendo quando se trata de questões fundametais de uma nação e que tem a ver com o destino comum da Terra e da Humanidade. As florestas úmidas não podem ser derrubadas em nome da produção de alimentos pois são elas que regulam os climas, garantem a suficiência de água potável, sequestram o carbono e ajudam a diminuir o aquecimento global.A Amazônia nisso tudo desepenha uma função central e universal. É abuso da instituição democracia usá-la para assegurar benefícios de alguns, dos ruralistas e os do agronegócio sem tomar em conta o bem comum de toda a população presente e futura.
      lboff

      Curtir

      • Somente um comentário pertinente ao seu comentário. As florestas não podem ser derrubadas em nome da produção de COMMODITIES. Os verdadeiros produtores de alimentos são os agricultores familiares, que dependem e mantém a floresta de pé!

        Curtir

      • REsposta ao BOFF…Sua resposta está totalmente infundada do ponto de vista cientifico, a amazonia é importante sim. Porém ela nao regula nenhum clima, pelo contrario é fruto da chuva, e muito menos produz oxigenio para o planeta. Estude um pouco mais e discuta sobre o tema. Assim como qual nao me atrevo a dicutir teologia com o senhor, em virtude de meus poucos conhecimentos no assunto.

        Curtir

      • Marcos, se há a um tema que tenho estudado e tenho uma verdadeira biblioteca é o tema da Amazônica. Leia o longo capitulo com larga bibliografia que escrevei no Ecologia: grito da Terra – grito dos pobres, com muitas edições e a sair uma nova com novos dados sobre a Amazônia pela Vozes de Petropolis. Alem disso percorri quase toda a Amazônia e por 10 anos trabalhei 3 meses no Acre com Chico Mendes e companheiros.
        lboff

        Curtir

  4. Oportuníssima e necessária esta solicitação de Leonardo Boff! Aliás, foi graças a luta de Boff, que a ONU instituiu o dia 22/04, como Dia Internacional da Mãe Terra! Só isto dá a Boff o gabarito de poder fazer este pedido de um Plebiscito Nacional à Presidenta Dilma, que um dia, duarante a sua campanha presidencial, em encontro com personalidades no Rio de Janeiro, Boff, dirigindo-se a ela, brincou e disse algo parecido com isto: “E’um rosto bonito de mulher que precisar ganhar a Presidencia do Brasil”. Não me lembro direito, mas foi alguma coisa parecida com isto! José Aparecido dos Santos-Assis-SP

    Curtir

  5. El Congreso Nacional de Brasil nos asestó un golpe en plena cara también a nosotros, los demás habitantes del planeta que no somos brasileños ni vivimos en Brasil. Confiamos en que las movilizaciones ciudadanas puedan detener la destrucción que se viene a raiz del la implementación del Código Forestal.

    Curtir

  6. A propósito disso e tantos descalabros, lamento, mas também me manifesto, desejoso de justiça:
    HERANÇA E ESPERANÇA
    Tenho uma HERANÇA:
    a Arte, que “me usa”
    e lembra apenas que eu expresse boa obra,
    alija a soberba, dela me descubra,
    não diga bobagens nem seja vaidoso,
    não tema nem me cale ante cobra,
    e mesmo com ela seja generoso;
    vou exercitando…;
    e uma ESPERANÇA,
    a despeito de um gene brasileiro,
    antes só macunaímico, mas corrupto,
    qual serpente a tentar me seduzir
    e prevalecer, fazer de estúpido,
    a confundir minha índole pacífica
    com (idiotia e) passividade…
    Se querer a “verdade”,
    que se relativiza, é vaidade,
    que seja, a Arte me perdoa, me abriga.
    Piso-a na cabeça, peçonhenta…
    mas não quero que morra;
    à minha luz e memória, sem afronta,
    e a tudo o que me sustenta,
    pra que nunca me (se) esqueça,
    e ainda à toda geração futura,
    servirá, apenas de sombra.

    Curtir

  7. […] https://leonardoboff.wordpress.com/2012/04/30/presidenta-dilma-exija-um-referendo-nacional/ Gostar disso:GostoSeja o primeiro a gostar disso post. Esta entrada foi publicada em Artigos, Prosa e marcada com a tag Ivo Poletto, Leonardo Boff. Adicione o link permanente aos seus favoritos. ← Liga das Florestas ! – Assine a petição ! […]

    Curtir

  8. Não somente em relação ao Código Florestal, mas a todas as questões que dizem respeito diretamente a todo cidadão brasileiro, tudo, antes mesmo do Congresso Nacional, da Presidência da República, até figurar nas Leis deste país, deveria passar por Plebiscito, Referendo, Iniciativa Popular e até mesmo Veto Popular. É assim que se constitui uma Democracia de fato e de direito. O resto é manipulação das massas, favorecimento das grandes corporações e reprodução da cultura da corrupção, por meio do maquiavélico sistema “representativo” de poder. Max Müller Cerqueira Sobrinho, Ceilândia-DF

    Curtir

  9. Faço minha as suas palavras caro Leonardo. O problema brasileiro em geral é a falta de mobilização efetiva.

    Curtir

  10. Circe Da Fonseca Vidigal Que tal se pedíssemos a AVAAZ para coordenar um abaixo-assinado contra esse Código Florestal? Mas terá que ser muito bem redigido, por quem conhece os detalhes e meandros da Lei. Eu conheço o problema, mas não a Lei em suas minúcias. Frei Boff ( desculpe o “Frei “- é o hábito) poderia se encarregar disso; ele tem o prestígio e o apoio necessários, além de ser muito querido por todos. E aí, temos os ellementos para uma fortíssima corrente de apoio público, seja repassando e-mail do AVAAZ, seja fazendo o mesmo pelas redes sociais.

    Vamos à luta?

    Curtir

  11. Caro Leonardo Boff,
    Uma consulta popular sobre o código florestal só levaria a mais confusão e desentendimento sobre o assunto, sem contar o desgaste do governo diante assunto. Acredito que poderia levar até uma certa antipatia e revolta do povo sobre tal questão e isso eu explico. Se os nossos representantes que são eleitos e pagos para resolver essas questões, de maneira serena e democrática, não o conseguem fazer, porquê eu que pago o salario desses representantes deveria o fazer. O código florestal deve ser pautado primeiramente por um ambiente técnico-cientifico para depois ser tratado num ambiente sócio-econômico. A ciência que rege a os princípios da preservação estão sendo negligenciados em nome de deliberações do nosso inconsciente sobre o que é preservar.

    Curtir

  12. Tem que haver uma mobilização da população brasileira, se não isso vai tormar proporções cada vez maiores, como está acontecendo com Belo Monte.
    Quero lembrar aqui também dos quinze anos que se passaram depois da morte do Índio Galdino Jesus dos Santos Pataxó e nada foi feito para que os assassinos cumprissem a pena como deveriam. Têm um cartaz que está sendo divulgado pela internet. Vamos espalhar esse cartaz nas nossas redes, para todos saberem que no dia 19 de abril não temos nada o que comemorar.
    Aqui têm o link do cartaz: http://3.bp.blogspot.com/-iZngZQl-4U8/Twisq8kqpXI/AAAAAAAAAn4/7j1Q-HdFK2g/s1600/15+ANOS+SEM+GALDINO+-+REDUZIDA.jpg.

    Curtir

  13. A “soberania popular” nada mais é do quê o outro lado do poder dos próprios políticos , ou seja a Corrupção , a maresia que corrói e enferruja tudo aquilo que as pessoas fazem por livre e espontânea vontade , as pessoas são uma coisa e o povo é outra , o povo é o inconsciente coletivo e o referendo será a expressão da má vontade desse inconsciente, que é sempre “bela” mas uma distração que nos ilude à aceitar esse caminho da (Pó)litica.
    As pessoas na cidade estão iludidas com o poder de acharem que controlam algo para além de seus próprios narizes , mas quando a torrente do ano que vem chegar de quê adiantará nosso “belo” código florestal??? Nada.

    Curtir

  14. A “soberania popular” nada mais é do quê o outro lado do poder dos próprios políticos , ou seja a Corrupção , a maresia que corrói e enferruja tudo aquilo que as pessoas fazem por livre e espontânea vontade , as pessoas são uma coisa e o povo é outra , o povo é o inconsciente coletivo e o referendo será a expressão da má vontade desse inconsciente, que é sempre “bela”, mas uma distração que nos ilude à aceitar esse caminho da (Pó)litica.
    As pessoas na cidade estão iludidas com o poder de acharem que controlam algo para além de seus próprios narizes, no campo e até no espaço , mas quando a torrente do ano que vem chegar de quê adiantará nosso “belo” código florestal??? Nada.

    Curtir

  15. Prezado Leonardo ,parabens por mais esta atitude,como diz o poeta ..a distância entre a intenção e o gesto…..ou é caminhando que se faz o caminho…..como contribuição ao debate,protocolei dia 10/11/11 na CMA_Comissão de Meio Ambiente do Senado,presidido pelo senador Rodrigo Rollemberg uma Moção advinda do ENCOB-Encontro Nacional dos Comites de Bacias Hidrográficas-para serem consultados neste assunto que afinal é o dia a dia de 180 comites por todo Brasil,que lidam diretamente com a questão dos Recursos Hidricos……não deram nem resposta…..é mais uma oportunidade de provocar esta discussão e inclusão efetiva e fundamental neste debate…..

    Curtir

  16. Sr. Leonardo Boff, por gentileza, o Sr., cuja opinião tem força de mobilização, proponha também refendo nacional para a condenação por corrupção – ativa e passiva – apropriação ilícita, ilegítima e criminosa de dinheiro público, tráfico de influência, etc, com dever de devolução dos valores, bens, direitos, benefícios, com pagamento de multa e indenização à Nação, e cassação do direito de se eleger ou participar de concurso público a qualquer cargo ou função.

    Curtir

  17. Frei Leonardo, eu imagino que o Sr.esta cercado de bons juristas que te auxiliam na suas lutas, mas se precisar de mais um advogado, além do apoio irrestrito, conte comigo!

    Curtir

  18. Santo, post, Boff!

    Há uma corrente de pessoas, entre elas eu, que estão pedindo uma consulta popular há meses! Incrivelmente como o artigo/post de um ícone dá uma outra cara para a luta de “populares”.

    Obrigado!

    Curtir

  19. Prezadíssimo Leonardo Boff,

    Muito oportuna a proposta de Ivo Poletto, a qual endosso como se fosse minha!

    No entanto, quero alertar para o fato de que esse congresso foi eleito pelo povo brasileiro, lamentavelmente, e seus representantes são aqueles que o povo escolheu, infelizmente. Isso é resultado da péssima formação política de nosso povo, que certamente não tem consciência da gravidade da situação em que vivemos, agora sob o jugo de uma Ditadura dos Ruralistas, como tenho enfatizado em meus blogs. Essa é talvez a situação mais grave desde a ditadura militar, pois até os partidos populares, que deveriam defender os interesses da Nação, se colocaram a serviço dos latifundiários, como é o caso do PCdoB. A propósito, o Aldo Rebelo foi o principal político a discursar para os ruralistas na abertura da Agrishow, nesta semana, em Ribeirão Preto. Ele foi representando o mesmo governo de Dilma Rousseff que, ela própria, conduziu, junto com LULA, para esta situação que vivemos agora! Aldo Rebelo é ministro dos esportes… o que faria então em uma feira do Agronegócio??? Dilma tem como principal apoio político no congresso o PMDB, que votou em favor dos latifundiários! Então, como esperar que Dilma vete o frankenstein do código florestal? Mesmo que vete, fará isso na certeza de que os ruralistas derrubarão seu veto!

    Lamento, meu caro Leonardo Boff e meu caro Ivo Poletto, mas minha esperança com relação a esse governo do PT e seus apaniguados é exatamente ZERO! E pior do que isso, mesmo sendo submetida a um referendo popular, temo que essa aberração do código do desflorestamento seja aprovada por maioria absoluta! Nosso povo sequer percebe que continua sendo massa de manobra do poder econômico… infelizmente…

    Um abraço afetuoso de seu admirador,

    João Carlos Figueiredo
    http://bocaferina.blogspot.com

    Curtir

  20. Escrevi esse texto pra um blog colaborativo que circula em Uberaba-MG, terra do último relator do Projeto, Paulo Piau, possível candidato nas eleições desse ano. Estamos pensando em uma mobilização pautada no referendo, se houver mais alguém construindo atos públicos por esses dias com essa temática, seria ótimo trocar informações e ideias.

    http://blogaondeir.blogspot.com.br/2012/05/quem-interessa-o-novo-codigo-florestal.html

    Curtir

  21. Escrevi um texto com base nesse pra um blog colaborativo que circula em Uberaba-MG, terra do último relator do Projeto, Paulo Piau, possível candidato nas eleições desse ano.
    O texto teve muitos acessos e estamos pensando em uma mobilização pautada no referendo, se houver mais grupos, de outras localidades, construindo atos públicos por esses dias com essa temática, seria ótimo trocar informações e ideias.

    http://blogaondeir.blogspot.com.br/2012/05/quem-interessa-o-novo-codigo-florestal.html

    Curtir

    • Juliana
      Acho que devemos mobilizar o maior numero possivel de pessoas para que nossa voz, esta que vem da planicie possa ser escutada por quem está no planalto.
      Continue e parabens por sua determinaçõa.
      abraco
      lboff

      Curtir

  22. Gente, nada é simples assim… O Brasil é um país de dimensões continentais, buscando uma lei que seja para todo o país com realidades muito distintas. Aqui, no interior do RS, onde o relevo é super acidentado, e as propriedades não tem mais que 20 hectares, continuar sendo agricultor na modalidade do codigo florestal é impossivel, visto que sua pequena terra de subsistencia fica enre um rio e um morro acidentado… O que fazer nesses casos? Acho que a discussão deva ser muito mais complexa e profunda do que aparentemente esta sendo.

    Curtir

  23. Maravilha, Boff. Sou sua fã. Engoli cinco livros seus, e to faminta para o próximo que vier ao meu encontro.
    Código Florestal
    De um lado, ruralistas, que defendem os interesses do capital, e tem percepção utilitaristas dos recursos florestais, a utilidade imediata; do outro lado, ambientalistas, que creem no seu valor de existência, intrínseco: que acreditam numa forma de aproveitamento dos recursos que inclui a sua conservação, com a “consciência de que todas as nossas atividades econômicas estão solidamente fincadas no ambiente natural” (Sachs, 2000).
    Foram anos e anos de exploração sem sequer regulamentação. Da história recente, sabe-se que a partir de 1500, com a chegada dos europeus ao Brasil, a exploração dos recursos deu-se inicio para não cessar mais. A exploração foi constante e os recursos naturais continuaram a sustentar progresso e o esbanjamento dos países
    considerados desenvolvidos (Galeano, 1971). Só em 1934, com o código brasileiro originário, normatizou-se, no papel, a proteção e o uso das florestas com o propósito maior de proteger os solos, as águas e a estabilidade dos mercados de madeira. Só com Lei n° 6.938/81 que as florestas nativas passaram a constituir um bem jurídico ambiental e que tem um valor intrínseco, próprio, e independente do seu “valor de mercado”: um valor pelo que representa e não mais, apenas, um valor palpável. E está lá, no conteúdo normativo do Art 1º: “… as florestas existentes no território nacional e as demais formas de vegetação, …, são bens de interesse comum a todos os habitantes do País …”. E em 1988, no artigo 225, é garantida a preservação para as futuras gerações.
    O ecossistema completo, com toda sua diversidade, é o mais importante recurso que a humanidade possui. No entanto, por ser recurso de difícil valoração, trata-se de um bem pouco assimilável para a sociedade, pois se trata de uma sociedade voltada para os interesses do dinheiro. Já o agronegócio, apontado por Holanda em 1936 como o grande vilão das problemáticas ambientais e sociais, registrou um recorde de exportação em 2011, segundo a Rede Globo, somou 94,59 bilhões de dólares, sendo quase 80% apenas por pouquíssimos setores (soja, complexo sucroalcoleeiro, carnes, café), representando enormes cifras e criação de empregos. “Sucessivas safras recordes, aumento das exportações” iludem o povo que assiste televisão. Porém, é dificil avaliar, de forma completa, a real contribuição do agronegócio para a humanidade, uma vez que as pesquisas científicas e a circulação de informação encontra-se sufocada por poucos. As pesquisas cientificas que resistem, normalmente da Academia, apontam para uma patologia intrínseca da espécie humana. Os alimentos que comemos não tem nutrientes, os remédios que tomamos nos matam… A manipulação da informação cega nossa sociedade. A principal crise que assola o homem é a crise de consciência ou, ainda, a crise de percepção (Capra, 2000). Haverá, assim, futuras gerações? Segundo Boff (1999), os solos são envenenados, os ares são contaminados, as águas são poluídas, as florestas dizimadas. Um principio de autodestruição está em ação, capaz de liquidar com o sutil equilíbrio físico-químico e ecológico do planeta e devastar a biosfera, pondo assim em risco a continuidade da espécie humana. Mas, se esses que integram as futuras gerações e não nasceram ainda já tem direitos sobre as florestas, a sustentabilidade ambiental não deveria ser aliada as discussões em torno do Código Florestal? Esse argumento por si só deveria alterar e limitar as alterações nas propostas feitas por aqueles que creem nas percepções utilitarista das florestas, ignorando todo o desastre que pode ser causado por ações imediatistas a longo prazo.
    Hannah Ribeiro

    Curtir

    • Hannah
      Sua argumentação é consistente e convincente. Apoio. Bom que vc levantou o direito das gerações futuras sobre a Terra e os ecossistemas, pois a elas pertence principalmente esta Terra e cabe a nós entregá-la integra e até enriquecida. Precisamos aprender a amar o invisível, aqueles que ainda não nasceram pois são nossos filhos,netos e bisnetos.
      lboff

      Curtir

  24. mestre lboff, sempre apostei no referendo para mudar questões importantes e esta questão é por demais importante e tem todo meu apoio…
    edenilson ernesto

    Curtir

  25. Sr Leonardo, acho bem válida a questão do referendo, porém não seria o voto obrigatório? Fico imaginando a grande parcela da população que não está a par das atualidades e poderão ser amplamente manipuladas e subornadas por ruralistas e pecuaristas…

    Curtir

  26. Vou procurar me informar mais para opinar e/ou participar. Desconfio desse tal “poder de veto”. Abomino qualquer coisa que cheire desrespeito a democracia em nome de teses alarmistas e, o pior, começadas pelas direitas internacionais, por paradoxal que possa parecer.

    Curtir

  27. MAIS UMA VEZ O CORPORATIVISMO, NA CÂMARA E SENADO, DÃO PROVAS QUE SÓ LUTAM POR SEUS INTERESSES, AO POVO, ESPOLIADO, HUMILHADO E ENGANADO, LHES CABE ELIMINAR TODA A TODOS ELES, NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES QUE SE AVIZINHA, POVO BRASILEIRO VAMOS VARRER ATRAVÉS DO VOTO MAIORIA DESSES POLÍTICOS CORRUPTOS, PARA QUE TENHAMOS UM PAÍS COM MENOS CORRUPÇÃO.

    Curtir

  28. Acredito que não só devemos deixar um planeta em equilíbrio ambiental e social para as futuras gerações, a questão maior é de imediato promover a Educação Ambiental em todo o território nacional, de forma que as famílas de baixa renda seja envolvidas no processo de utilização dos ecossistemas, podendo dessa maneira retirar uma renda para o sustento da sua família (alimento ou dinheiro)….. sustentabilidade.

    Curtir

    • JOSÉ ARRUDA SOU FAVORÁVEL, QUE A PRESIDENTE DILMA FAÇA UM REFERENDUM, POIS SÓ ASSIM ESTAREMOS LIVRES DOS GRUPOS QUE FAZEM PRESSÃO, CUJO O OBJETIVO É CONTINUAR COM DESMATAMENTO DAS NOSSAS FLORESTAS. SEMPRE OBJETIVANDO LUCROS COM A VENDA DE MADEIRAS E CAUSANDO DESERTIFICAÇÃO NO PAÍS E UM FUTURO SOMBRIO PARA NOSSOS FILHOS E NETOS, QUE AINDA NÃO SABEM DECIDIR-SE QUANTO AO FUTURO QUE OS ESPERA..

      Curtir

  29. Considero a ideia de se realizar um plebiscito sobre o assunto a melhor solução para o caso. E acrescento: para que não haja gasto adicional para a realização do plebiscito, o mesmo poderia ser realizado junto com as eleições municipais do próximo semestre. É simples: é só acrescentar mais uma tela de votação na urna eletrônica. Simples, rápido e sem mais gastos. Ideia apoiada!

    Curtir

  30. Não há solução. O aumento populacional e a ganância das multinacionais vão exaurir o planeta. A raça humana é o gafanhoto, a saúva devoradora. O homem foi o último animal criado, pó da terra misturado a urina e excrementos dos outros animais,(assim está na Bíblia Sagrada – Genesis). Não há Obama, Putin, Dilma, Rainha Elizabeth e quem quer que seja.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s